Em defesa da vida

Eu queria dizer pra você

Feliz Dia do Meio Ambiente, mas

Como o posso fazer?

De ver ao meu redor a água

Sendo poluída, a cachoeira destruída

A pedreira que dinamita e destrói a montanha,

Erosão, degradação, construção e queimada

No lugar da mata ciliar.

Se a cada dia em que há vida

Há incêndio ali na esquina,

Há lixo na beira do rio, poluição de esgoto

Diretamente onde antes existia o rio corrente

Água cristalina, córrego com peixes

Hoje, extremamente fétido, poluente.

Como eu posso desejar

Feliz Dia do Meio Ambiente

Se os organismos ambientais/ irresponsáveis

Mais sabem propagandear ações do que realmente atuar

E se pessoas que jogam os interesses pessoais/ financeiros

Negociam acordos usando o meio.

De quem é o meio ambiente se não de todos que vivem nele?

Quais são os sintomas dessa imensa poluição do ar

E das águas que está a nos cercar?

Qual é o problema e por que o rio Guandu não pode ter recuperada  sua mata ciliar?

Mas, ali estão gados a pastar, cercas a tomar,

Construção de casas em local irregular, empresas a beira rio querem situar.

Se a montanha de lixo parado nos locais públicos só fazem aumentar

Coleta seletiva propagandeada não é real.

O projeto e programa de manutenção precisam funcionar.

Educação escolar e familiar para respeitar a vida. Desde já.

Atenção aos rios então!

Só para o momento posso citar, aqui em Japeri

Rio Santana, São Pedro, Santo Antônio, Rio D’Ouro, Rio dos Poços.

Incluam o córrego Santa Tereza que, por favor, não é valão, mas estão a o tornar.

As montanhas que nos rodeiam também pedem socorro.

Mata Atlântica precisa reflorestar.

Chega de queimadas, chega de desmatamento.

Precisamos de ar puro para respirar

Está é a qualidade de vida que podemos

Observar, ter e manter.

Neste 5 de junho então, um dia de reflexão

Mundial do Meio Ambiente

A minha súplica mundial é também japeriense.

Ambiental de coração e por paixão

E muito amor à mãe terra

Viva e colorida!

Explosão de biodiversidade.

Cuidando dos rios, cuidamos dos mares.

Respeitando as florestas protegemos os animais

Mantendo o verde cultivamos a esperança de viver num mundo melhor.

Esta reflexão sobressai no sentido de repensar

O que está aí no “mundo”

Onde estamos nesse mundo

O que fazemos ou podemos fazer para melhorá-lo e não mais destruí-lo

Qual é o mundo que queremos para nós?

Por nossa fauna e flora, pelos territórios.

Por nossas águas e florestas.

Em defesa da vida.

 

passarinho

Ao placar

Ao placar
Eu digo
Não posso socorrer o pescador
Não posso?
Eu digo
Mas terá que derramar o opressor.
Opressor estava sujo
Sujo de remédio
Coitada da Olívia
Foi parar no
cemitério
Cavernoso
Paradoxal
Romântica por natureza
Desregrada da
incerteza
Tediosa e óvia
Abissal e
Soberana desde criancinha
De pijama
Na rua da amargura
Andando de um
lado pro outro
Até vomitar de horror
Do pavor
E do medo
De não escrever
Mais uma palavra
Com nexo
E noção.

DSCF9350
Foto: Reinaldo Bernado  / Japeri

 

Tem no trem

Aos trabalhadores do
trem
Nós vemos
A luta
Diária
No trampo
Pesado
De lá e pra cá
Indo e voltar
No trem
A luta
Diária
Trabalha
Vai trabalhar
Uns vão
Outros voltam
E aqueles
Vão e voltam
Pendurado
Abre a porta
Entra e sai
Vem um bonde
Passa outro
Picolé, isopor, guaraná
Capa pra celular
Vende bala
Biscoito recheado na promoção
Tem lá.
Indo e volta
Volta e vem
Pesado
Tem criança também tem
Tem criança
Tem idoso
Tem senhora no vagão
Tem coroa pedindo esmola
Tem crente fazendo sermão
Tem pedido de ajuda para instituição.
Vem de trem
De trem vem
Sorriso banguelo
História singela
Da sua casa
Seu bairro
Sua rua
Tem também
Cada um tem uma
história pra contar
Umas mais tristes
Outras felizes
podem estar
o que será
que vem de trem
o que se vê?
o que se tem?