Previsão do tempo: A união de poderes.

Previsão do tempo:
A união de poderes.

O céu e o mar unidos em comunhão
Resolveram dar festa eterna na terra
Chamaram a lua pra passear nessa
atmosfera suave.
Brilhante ela vinha todos os dias
Tinha dia que se escondia
Tinha dia que fininha aparecia
Outros dias ela parecia bem cheinha
Toda dourada ela vinha
Esbranquiçada sorria
Iluminada existia/ Resistia fiel.

O céu e o mar com toda cautela
Convidaram o sol pra passear em amores
E ele sorriu apressado.
Já revoltado com as dores. Quem diria!?
Mas o sol saindo contente, de repente
apareceu às montanhas
Para mais um dia aquecer
E brilhar para o céu e o mar
E esta união abençoar.
Iluminando ele ia, o dia todo, todo dia.
Às vezes saía pra decansar,
Repousar em seu sono profundo
Mas mantinha-se sempre acordado
sempre alerta.

O céu e o mar já tão felizes
Pediram ao vento para fazer presença
E mandar seu território.
Espalhar as sementes que voarão.
O vento disse com firmeza
— Claro que sim, meus irmãos.
Estarei aqui para sorrir pra vocês.
Ondular e fazer rajar.
Renovar e fazer agitar.
Trazer novas nuances e os refrescar.

Com toda sabedoria do céu e do mar
Esses dias tão perfeitos.
Com altas intensidades
A dimensão voraz da natureza
Vociferando tamanha beleza
Nesta companhia agradável
Rodeados por amigos sinceros e
protetores.

O céu e o mar. O vento, o sol e o luar.

Pedi ao mundo pra esperar
mais um pouquinho
Pedi um tempo pra Deus e pra Jah
Mas o mundo repetia: — Depressa!
A vida não pode esperar.

Pedi ao tempo que aguardasse um
minutinho.
Pedi, porque depressa ia passar
Mas o tempo respondeu: — Que demora!
Seu minutinho custou a passar.

Pedi a vida que entendesse o meu apelo
E que pedisse o tempo pra parar.
Mas a vida respondeu: — Que prepotência!
Cada um tem sua hora e seu lugar.

A boca que treme a aliança
A boca que teme a aliança.
A aliança é com quem?
Unidos com o universo!?
Reunidos com o além?
De onde provém a imensidão?

O fermento do mundo não é meu
O fármaco do mundo não sou eu.

Eu sou a contemplante invariável
Magnífica de variedades absolutas
Nem tão absolutas assim, mas humanas…
……………………..(nem tão humanas assim,)
E renascenças calmarias

Em solidão.

Absoluta.

Voltou pra mim
Meu caderno de memórias
Salve Salve
Minhas vitórias
Sem demora
É tempo de vencer.

.

.

Resolvi fazer um diário só meu
Onde eu encontro com o
mundo que existe em mim.