Pelo menos isso

Aí lá veio ela
Dizendo-me que não poderia ser assim
E eu disse
– peraí
Eu também vou escrever.

ih, mas não tem nada a ver
o que você escreve
ela ousou dizer pra mim
e eu disse
– então tá bom
eu não te obrigo a entender.

só que aí ela insistiu
me dizendo
que não era para ler
e eu lhe disse
– olha só
Eu não te obrigo a querer ver.

aí então lá veio ela
dominada da prepotência
e com uma discórdia infernal
insistindo
que não era pra eu mostrar
e eu lhe disse
– olha só sai pra lá
e me deixe fazer o que quiser.

não foi pouco
e ela veio
dominada pela revolta
e queimou os meus papéis
mexeu comigo
e eu lhe disse
– saia já
não te peço pra ficar.

mesmo assim
só piorou
quando de repente
ela quebrou o computador
e ela disse
– no teclado você não mais tocará
e eu disse
– atenção
este teclado é todo meu
você não vai me perturbar

não adiantou
e ela permitiu
arrancar o meu temor
e eu disse tá
minha mão vai arrancar
ela disse
– por favor
pegou a faca e decepou

foi então
que aconteceu
e a lágrima escorreu
e descendo acontecia
o que nunca se previa
só então escureceu.
E neste tempo em que sentia a náusea
quando estas tocavam o solo
e as roupas

por ela se permitia
ler através das lágrimas
molhadas de sangue
transformando-se em letras
por onde caía
e logo assim todos leriam
porque não dava mais pra esconder.

E foi assim
que ela me deixou em paz
pelo menos isso.

Advertisements

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s