Quando não quero fazer nada

Quando não quero fazer nada.

E tenho tudo pra fazer,

Eu sumo.

E sumo dentro de mim mesma.

No mais alto escalão do meu ser.

Onde eu posso subir as montanhas
do meu organismo.

E viajar na solidão das nuvens,
no mais alto céu da minha
……………………………..mente.

Onde eu posso naufragar no
imenso mar do meu
………………………coração.

E flutuar no vazio ar da
………………….minha cabeça.

Ou posso entregar-me a
Rabiscar dizeres e frases
curtas,

Palavras sem expressão.

Que revelam a mais forte
angústia de ser
quem eu sou.

E onde estou.
E como estou.

No mais intenso tornado de
provocações infiéis.

Que eu não posso receber

Que eu não quero merecer

Que eu não quero me perder
……………………..(ou encontrar).

Quando eu não quero fazer nada

E tenho tudo pra fazer

O que eu quero?

Perco-me em escrever minhas
……………………………….memórias.

E as letras invadem o papel
……………….de minha solidão/ solução.

Tentando extravasar a bravura/ loucura
de querer fazer o que eu quero,
e não fazer nada ou
fazer tudo ao mesmo tempo
e não conseguir ser eu
……………………..(ou ser).

Quem eu sou?

Se nesse triste abismo de lágrimas
Onde estou,

Não me encontro além das
………………………….incertezas.

E das vontades eternas.

Que não sentirão

Vontades algumas.

Advertisements

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s