Abster-se
Abster-se-ia
Abster-se
Abster-me vou
Abster-me
Abster-te vai
Ou eu vou...
Advertisements

Eu
tenho
que
largar
o
termo
Eu
e
me
mandar
desse
egoísmo
abrupto
de
ser
Eu.

 

Singela
Senhora
Egoísta
Está
Sendo.
Pense
mais
um
pouco.

Quando paro para escrever
Viajo viagens de dentro do meu ser
Pra que?

Pra me ausentar do futuro da contradição

Fazer brotar o passado em decepção

Para intervir no presente com alguma ação.

Então, isso de escrever e viajar
É delirar no meu mundo em reflexão.

Hoje sinto-me que nem o tempo de hoje
Parado. Cinza. Sem cor. Sem vento.
Nada me desapruma ou me tira do sério
Porém nada me faz feliz.
Só essa agonia de ser dia
E ver vir a noite
E nada…
O céu nublado
Minha cabeça vazia
Alma nebulosa
E minha mente sombria.

Qual é o ritmo da sua canção?
E então?
Qual é o tempo do ser?
Não quero mais.
Não quero mais saber
Não dá pra entender
É melhor não perguntar.

Se entre as frases, os sistemas e os poemas
Já vou já!
Então já fui
Não vão me achar
Depois que eu estiver desaparecida.
Sumida. Desconhecida.
Só a solidão me encontrará.

Fundamento do “Recalque”

Você pode colocar o seu
passarinho pra voar
Que não vai adiantar
Que eu vou o derrubar.

Mas, de repente
Se for
Seu passarinho voador
Peço ele por favor
Saia já do meu céu!
Que egoísta então estou.

E se ele insistir em não sair
E se você insistir em não
tirá-lo daqui
No que vai dar esse impasse?
Qual será o parecer?

Porque pra força eu vou partir
E então ele vai sofrer
E você vai se arrepender
É melhor se preocupar
E se ocupar em tirá-lo de lá.

Quando eu começar a mirar
Selvagemente
Na uria de o fazer derrubar
Como tu vai reagir?
Vai querer me agredir
Então eu posso lhe atirar
Uma distância de 10 metros
Uma bala, um tiro, uma pedra
Eu posso lhe acertar
Cuidado!
Eu não vou me segurar.

Então se você permanecer em
insistir e deixar esse
passarinho voar e não fazer esse
passarinho descer
Vai dar ruim.
Vai dar ruim pra você e pra ele.
E garanto que até eu vou sentir
Vou sentir felicidade de vê-lo cair.
E logo você chorará
Quando ver que seu pássaro não mais voará.

E eu vou sorrir
De ver sua tristeza
E vou querer te ver chorar ainda mais
Não satisfeita
Vou querer você morrer
E então vou terminar e me matar.
E com o lindo pássaro encontrar no além
E com ele voar
Para sempre.