Lá vai ela

Lá vai ela
Com suas roupas, papéis e esquemas
a fazer
suas nóias
seus sabores
Os seus gostos e desgostos.
Lá vai ela
Transita e
levanta
seu acampamento
de um lado para o outro
Lá vai ela.
Monta e desmonta
Espalha e junta
Junta e espalha
Separa por áreas
Tem que unir
Precisa dividir
Precisa absorver
e manter
e cuspir.
Lá vai ela.
Com seus cadernos, suas folhas
os seus riscos, seus rabiscos
malditos/ benditos
Lá vem ela.
Chega pra ficar
E já já vai embora
Nunca vai voltar
E aparece no segundo seguinte
Diz que vai ficar
E some para sempre.
Até amanhã, afinal.
Lá vai ela.
Anda em disparada pela rua
Não dorme e não acorda
Não sonha tem pesadelos
Finge-se de viva e já morreu.
Nos escombros de seus pertences atormenta-se
Não quer mais nada. Quer tudo. Quer o mundo.
Lá vai ela.
Suas coisas a consomem.
E ela consome o mundo e some.

 

SAM_0014

Advertisements

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s