Em defesa da vida

Eu queria dizer pra você

Feliz Dia do Meio Ambiente, mas

Como o posso fazer?

De ver ao meu redor a água sendo poluída,

a cachoeira destruída,

A pedreira que dinamita e destrói a montanha.

Erosão, degradação, construção e queimada no lugar da mata ciliar.

Se a cada dia em que há vida

Há incêndio ali na esquina.

Há lixo na beira do rio, poluição de esgoto diretamente onde antes existia o rio

corrente.

Água cristalina, córrego com peixes.

Hoje, extremamente fétido, poluente.

Como eu posso desejar

Feliz Dia do Meio Ambiente

Se os organismos ambientais/ irresponsáveis

Mais sabem propagandear ações do que realmente atuar

E se as pessoas que jogam em interesses pessoais/ financeiros,

Negociam acordos usando o meio.

De quem é o meio ambiente se não de todos que vivem nele?

Quais são os sintomas dessa imensa poluição do ar e das águas que está a nos cercar?

Qual é o problema e por que o rio Guandu não pode ter recuperada  sua mata ciliar?

Mas ali estão gados a pastar, cercas a tomar.

Construção de casas em local irregular, empresas a beira rio querem situar.

Se a montanha de lixo parado nos locais públicos só fazem aumentar,

Coleta seletiva propagandeada não é real.

O projeto e programa de manutenção precisam funcionar.

Educação escolar e familiar para respeitar a vida. Desde já.

Atenção aos rios então!

Só para o momento posso citar, aqui em Japeri:

Rio Santana, São Pedro, Santo Antônio, Rio D’Ouro, Rio dos Poços.

Incluam o córrego Santa Tereza que, por favor, não é valão! Mas estão a o tornar.

As montanhas que nos rodeiam também pedem socorro!

Mata Atlântica precisa reflorestar.

Chega de queimadas! chega de desmatamento.

Precisamos de ar puro para respirar.

Esta é a qualidade de vida que podemos observar, ter e manter.

Neste 5 de junho então, um dia de reflexão Mundial do Meio Ambiente.

A minha súplica mundial é também japeriense.

Ambiental de coração e por paixão e muito amor à mãe terra.

Viva e colorida!

Explosão de biodiversidade.

Cuidando dos rios, cuidamos dos mares.

Respeitando as florestas protegemos os animais.

Mantendo o verde cultivamos a esperança de viver num mundo melhor.

Esta reflexão sobressai no sentido de repensar o que está aí no “mundo”.

Onde estamos nesse mundo?

O que fazemos ou podemos fazer para melhorá-lo e não mais destruí-lo?

Qual é o mundo que queremos para nós e para os nossos filhos?

Por nossa fauna e nossa flora, pelos nossos territórios.

Por nossas águas e florestas.

Em defesa da vida.

 

passarinho