Tem no trem

Aos trabalhadores do
trem
Nós vemos
A luta
Diária
No trampo
Pesado
De lá e pra cá
Indo e voltar
No trem
A luta
Diária
Trabalha
Vai trabalhar
Uns vão
Outros voltam
E aqueles
Vão e voltam
Pendurado
Abre a porta
Entra e sai
Vem um bonde
Passa outro
Picolé, isopor, guaraná
Capa pra celular
Vende bala
Biscoito recheado na promoção
Tem lá.
Indo e volta
Volta e vem
Pesado
Tem criança também tem
Tem criança
Tem idoso
Tem senhora no vagão
Tem coroa pedindo esmola
Tem crente fazendo sermão
Tem pedido de ajuda para instituição.
Vem de trem
De trem vem
Sorriso banguelo
História singela
Da sua casa
Seu bairro
Sua rua
Tem também
Cada um tem uma
história pra contar
Umas mais tristes
Outras felizes
podem estar
o que será
que vem de trem
o que se vê?
o que se tem?

A arte que o poeta derrama

Ao expressar seu sentimento

É a arte de sentir com emoção

A razão interna mais sensível 

E mais humana que se possa imaginar

E declamar em poesia

Libertando em letras

As palavras de dentro de si.

Logo logo

Pensei que pudesse suportar
um pouco mais de dor
“logo logo passará”
eu pensei…
Logo logo
quem diria
já chegou.
logo logo
não passou.
e eu continuei a sentir
doer.

Pensei que eu pudesse suportar
mais um pouco
e logo logo
minha dor anestesiaria-me.
E eu pensei
dói dor
passarás quando quiserdes
e eu suportaria
mas não suportei.

quando pensei
eu não aguentei
ainda eu estava ali
então ainda sentia
doer.

Sem aguentar?
Como pode?
então eu aguentei.

Pensei que esta dor
podia ir embora agora
e se retirar dalí
de mim
para nunca mais voltar
aqui
Por que?
perguntei.

Por que não passaria?
Por que não suportei?

Pensei que podia
Pensei que sentia
Pensei que sabia
Pensei que sonhei.

Pensei que pensando
suportaria.
Pensei que pensei
mas sentia.

Pensei que morria
e morri.
Pensei que vivia
em dor
e chorei.

Agora o que eu acho lindo no poeta
É que o poeta além de estudar,
De estar sempre estudando.
É que o poeta é por si o elemento do estudo.

Faz-se variados seres para decifrar o ser poeta
Porque a alma do poeta não está exposta
Por mais que o poeta se doe e se entregue as letras.

Ainda tem tanto mais na vida poeta
Que é um enigma dentro dele mesmo e dos outros
Porque por mais que o poeta se revele
Ele ainda está escondido
Subversivo dele mesmo se distrai
Cria, monta e desmonta obstáculos e
caminhos para si em suas passagens.