a Chacrinha

a Chacrinha
ficou toda
dominada
pela poeira
logo depois
daquela
explosão na pedreira
Seguida de
incêndio no
alto do morro.

Advertisements

Chuva de Cinza – Parte II

Ela continua a cair
Chuva de cinza
Grandes pedaços pretos
Pintam o chão
Serpentina de cinzas
Confetes de cinzas
Que voam
Não é enfeite
É queimada rolando em
algum lugar dessa terra
Mancham o ambiente
Agonizam minha mente
Vem do céu
Vem de onde?
Reflexo de queimada
O que queima?
Será mata? Sera morro? Será lixo?
Será na beira do rio?
Ou próximo a morada de alguns animais?
O que será que queima agora?
Onde será que queima agora?
Meu coração também queima
Mas não dá pra ver minhas
cinzas por aí

Chuva de Cinza

Em algum lugar
Onde não consigo ver
O fogo deve ter se alastrado
Quentemente
Ardentemente
O que será que queimou?
Não consigo ver sua chama
Sinto de longe seu cheiro
Vejo de longe a fumaça
Pouco a pouco toma conta do ambiente
Mas uma coisa se encontra
Super perceptível diante de nossa visão
A chuva.
A chuva de cinzas que toma conta do chão
Partículas de cinzas negras
que chegam voando
Tomam conta do espaço
Espalhando-se nas mesas, nas cadeiras
CinZas negras
Negras cinzas
De um fogo que queima
O que será que queima
Chove cinzas em minha rua
Chove cinzas em meu quintal.