Eu poderia esquecer de estudar
Mas não posso
Está entranhado na minha carne
a pesquisa
Tudo é questão de porque e
onde e como.

Difícil mesmo é escrever.

Advertisements

✎✎✎

No céu. No céu.

Calibre 38 pra ajudar a escrever.
Pode escrever que tu não sabe ler.
Pra que aprender a entender, a questionar?
Se o naufrágio da nação já se instalou em nosso chão.
Tendendo a se deteriorar, mais uma vez.

Se descobrindo-se um país, em céu azul.
A lamentar
Suas fronteiras ir buscar,
pra debater, pra proclamar!

E se a Princesa Isabel a lei áurea assinou
E negros eram escravos
Mais uma vez a tortura,
Por dominação
Cor a cor ela se sustentou
Do sangue da gente ela sobreviveu,
Onde estão aqueles que fingiram perdoar?
O que passou, passou
Mas a verdade prevalece
Está lá.
Aonde? Aonde?
Aonde ela está?

(2012)

NOSSO

NOSSO SANGUE DERRAMADO PELAS RUAS ENQUANTO NOSSAS CRIANÇAS CHORAM.

NOSSO POVO MASSACRADO PELOS CANTOS ENQUANTO NOSSAS MÃES SENTEM A DOR DO PARTO.

NOSSA TERRA QUEIMANDO ENQUANTO NOSSOS HOMENS E MULHERES FICAM COM SEDE.

ATÉ QUANDO LAMENTAREMOS AS INJUSTIÇAS?

ATÉ QUANDO ESPERAREMOS A SOLUÇÃO CAIR DOS CÉUS?

ATÉ QUANDO FOR OMISSOS PORQUE A DOR ESTÁ NO OUTRO?

QUEM É O OUTRO? QUEM SOMOS NÓS?

SOMOS A UNIDADE E A DOR DO OUTRO É A NOSSA DOR.

O SANGUE DO OUTRO É O NOSSO SANGUE.

NÃO ADIANTA TENTAR CORRER.

NÃO ADIANTA TENTAR FUGIR.