São ser…

São mulheres.
São mães.
São esposas.
São gentes, humanas, amáveis.
São dóceis.
São meigas.

São mulheres.
Trabalhadoras.
São pessoas.
Lutadoras.

*
São do meio da educação
Andando na contramão
Daquilo que queria ver.
De quem queria ser pra ver
Nascer um novo ser.

Pra ser amanhã e depois.

“Durante análise em fúria de pessoas,
Tentando amenizar a dor de ver
contrárias posições do coletivo
composto para exercer as funções do
conselho do fundeb, sendo bastante
omissas, negligentes, irresponsáveis.”

Sem piedade:

  • Para os amigos tudo. Para os inimigos, a lei.
  • Criam-se as leis (para serem burladas) de acordo com as necessidades.
  • Leis (boas para quem criam)

O que quer dizer da confusão?

O que quer dizer da confusão?

Um dia, estávamos ali parados. Sentados a escutar a canção que tocava aos ventos uivantes. Sons de tambores e flautas insistiam em soar aos ouvidos da imensidão, enquanto a realidade doía de dor de vingança e de sangue derramado, dos humanos e das árvores, que sangram em clorofila, em miséria da noção de solo, em desvario da questão da terra.

Soterra!  Soterra a contradição!

Desenterra! Extravasa a concentração!

De viver em plenitude num território sem fronteiras, onde beija o horizonte entre rios e montanhas. E o sol desponta no céu brilhando, a suspirar…

A lenda viva da história sem memória, não contada por seus antepassados.  Onde colher e cuidar eram o dom de viver em plenitude e sabedoria. Ancestralidade entendida como magia. Daquele tempo, enquanto os dominadores não apareciam para usurpar.

Privilégios da vida é a caça e a pesca. É o tempo livre da juventude eterna em viver e aprender a ser livre, enquanto fonte de realização.  Ações pontuais, estruturais.

Eu sou Ariani, prazer.

Quero sentir a brisa bater e correr em direção ao nada
Quero me sentar e não lembrar mais de nada
Levantar com amnésia
Sonhar com o ouro da manhã
Quero andar em passos lentos e sentir o vento a me derrubar
Quero estar nas alturas e pular
Pra ver se eu consigo tocar o chão mais uma vez
Pra ver se eu consigo aprender a voar
Quero estar presente e ausente
Mergulhar no finito sem fim
Viver ausente de mim
Mergulhar na imensidão
E dormir na escuridão
Eu não quero mais nada além do universo
Do perverso e do mal
Quero esquecer que o tempo existiu e foi embora
Passou da hora
Não volta mais.
Sem lembranças e nem dor
Sem calor e sem amor
Nada daquilo que esperei e sonhei
Descobrindo a nova realidade que sempre existiu
O que não se viu porque não se queria ver
O que sabíamos que ia acontecer
Morreu
Apodreceu
Tanto faz agora
Eu não me importo mais.

11:22 h – 03/02/11 – Ariani

Sou eu…Prazer…ARIANI