A maioria dos
estupradores são
homens.
Quantos casos
conhecemos de
mulheres que
estupram homens?
Mulheres que
estupram
crianças?

Mas até (o) quanto as
mulheres se associam
a cultura do
estupro?

Imagina só

Imagina só
Um homem bom
Tomando tiro de pistola na face e por todo o corpo
Por não ceder, não recuar e
Querer fazer valer os seus direitos
E de sua comunidade.

Imagina só
Uma boa senhora
Tomando tiro de pistola no rosto e pelo corpo
Por não ceder, não recuar e
Querer fazer valer as suas terras
As águas e florestas de suas gerações.

 

 

*Em memória dos bons.

Ladainha

Você vem
defender aquele menor marginal
Não vê
Que se tornou um “homem” mal
Perdido
Desesperado
Desencontrado
Na sociedade do capital
Ó mãe
O que fazer?
Seus filhos irão morrer
E morrem no hospital
E morrem
Aos tiros do policial
E policiais também morrem
Por que não?
Quem mata, morre também
É a lei do cão.

Ó mãe
Você vem querer prender o menor marginal
E dizer
Que ele já matou seu filho também menor
Dizer que ele também matou um pai de família
…………………………………………trabalhador
Qual é a estatística para meninos assassinos
………………………………………..contraventor
Mas as crianças estão jogadas nas ruas
marginalizadas
sem escola de qualidade
sem qualidade de vida
sem comida
sem água
sem mãe e sem pai
sem roupa e
sem vó.

Não são todos ó mãe
Não são todos.
Quem pagará pela vida dos nossos filhos ó mãe
Se gestores públicos que roubam milhões e milhões
em dinheiro da
merenda das crianças
e das escolas
e dos hospitais públicos
estão soltos
fazendo propaganda escrita e
na televisão
pagando milhões para jornalistas comprados
pelo sistema opressor
ó mãe
ó mãe
dos filhos dessa terra mãe gentil
porra nehuma
gentil é a puta que pariu
filhos da prostituta maldita
Será o quê?
Por que mãe?
Por que mãe?
Filhos da desigualdade social
vão morrer
vão matar

Prenda
Prenda todos os condenados
E não condenem os reféns.

Prenda
Prenda os políticos corruptos
Os empresários em conchavo
E pras crianças educação

Educação de qualidade
E saúde. E merenda.
E não ao trabalho explorador
E terra
E solo
Para que vivam com amor.

Dúvido, que se essa sociedade fosse totalmente diferemte
Se existiria crianças ladronas
Mas, por que será que uma criança de 12,
13, 14, 15, 16 anos
quer roubar seu celular?

Mas peraí
Nada disso vale a pena
Se você for pensar bem.
Nada disso importaria
Se tivéssemos terra pra plantar
Solo pra cuidar
Pra nos alimentar
Sem nos explorar.

Sistema maldito
Sistema fudido
E dilacerado
Corrupto
Envenenado
Está a nos sugar
Entenda.

Os pretos e pobres e favelados
Estão a morrer
E fazemos pouco, muito pouco
quase nada
Para isso reverter.

Ó mãe
Por que mãe
Salve seus filhos ó mãe.
Salve seus filhos ó mãe
Salve seus filhos.
Salve seus filhos.

Entenda
Somos todos jovens a matar
E jovens a morrer
E filhos a narcer.

Salve-nos.
ó mãe.

na hora da morte

na hora da morte
todo mundo aparece
é um anda, anda
corre corre na rua
um movimento pra lá e pra cá
todo mundo aparece pra ver
todo mundo quer saber do defunto
todo mundo mesmo
crente, descrente
bebum, criança
jovem e velhos
todo mundo quer ver o presunto
todo mundo
na hora da morte
aparece
na hora da morte dos outros
na rua

Enquanto (Folheando jornal)

Enquanto os auto de resistência dizem:
–Morte aos peixes pequenos
meninos e policiais que se matem!
policiais que matem meninos e jovens
(tanto faz – são números e a vida não importa
ao Estado opressor – vida é dinheiro)
os grandes leões tubarões financeiros
permanecem a solta
vivendo suas grandes dimensões
(de podridão em riqueza extrema)

seus filhos cantores “artistas”
fazem a festa na novela
ó empresários
reinando na televisão
o “povo” assiste a novela da vida real
sente o drama visceral

o inquérito policial vai investigar

a perícia realizada no local identificará (será?)

muitas poças de sangue humano ficarão pelas
ruas desta cidade hoje
muitas mães chorarão seus filhos mortos, perdidos
assassinados pelo sistema dominante em ação (sem noção)

muitos tiros rolam todo dia e não há problema nisso
você pode levar um tiro no olho e ficar cego de uma visão
mas ainda sobra uma vista e você ainda consegue ver
o mundo de uma banda.

Enquanto se pede (perde) paz. A paz é complicada.

Enquanto isso meninas bonitas posam nuas para revistas
masculinas
e os homens babam
e as mulheres temem (e babam)

Enquanto isso belas mulheres fazem fotos
fazem novelas e filmes
e brindam brindes em festas sociais

Enquanto isso deputados, senadores e prefeitos
fazem brindes maestrais
e fecham acordos pessoais
com investimento do trabalho suado do “povo”
que só liga a TV
e fica sabendo só do que “deve saber” (por hora)

Pra quem é bacalhau basta!
bacalhau tá estragado, cuidado!
Enquanto isso empresários, suas mulheres e seus filhos
brindam
em taça de cristal
doses altíssimas de empreendimentos
multimilionários
donos das “maiores/ melhores” empresas mundiais/ transnacionais

Enquanto isso o câncer se espalha no corpo humano
e se entranha e enraíza nas gerações de crianças
mas, “seus” bons projetos salvarão a terra.

Enquanto isso, a guerra continua em todo lugar
Menos na visão de outro mundo que irmãos fiéis
insistem em A(creditar)

Não tem problema nenhum
Porque os turistas gostam muito do Brasil
Isso quando não são assaltados ou mortos
Mas as mulheres brasileiras valem a pena
E as pequenas crianças vendidas para o sexo também

Não tem problema
Porque enquanto isso, muitos estupradores estão soltos já faz tempo
Fazendo vítimas
traumatizadas pelo caos social/ humano/ global.

Já faz tempo que crianças tem sido violentadas
E nada…
Por pais, padrastos, estranhos, tios, primos,
vizinhos, professores,

Já faz tempo que crianças são violentadas
E nada…
Pelos hospitais públicos, escolas públicas, transporte público,
Segurança pública
E nada…
Enquanto os auto de resistência permanecerem pelas ruas
De qual lado tu estará?

Uma coisa horrível!
Uma desgraça!
Uma tragédia!
Onde crianças estão sendo assassinadas
Com revólveres
Assassinos impunes
A realidade social é o cáos
É caô!
Caô na imensidão
Constelação de incertezas
Crianças mortas picadinhas jogadas no Rio Guandu
Japeri tá assim
Sobrevivendo na selva urbana/humana
Imunda.
Cheiro de sangue toma conta do lugar/ do luar
A morte beija a decepção em trevas
Aniquilação da razão humana/urbana
Parasitas, suicidas, magistrados
Magistério
Educação pra educar a o quê?
Pra onde iremos viver?
Educação humana
Humano é o que?

riov